Quando você dança com desconforto, coisas surpreendentes podem acontecer

cupom com desconto - o melhor site de cupom de desconto cupomcomdesconto.com.br


“Desejo um mundo onde todos entendam que o desconforto é o preço do lendário. E o medo é apenas o crescimento chegando para pegá-lo. ” ~Robin S. Sharma

Durante anos, me senti a dançarina mais incrível. Sempre que ouvia música, não importava onde estivesse, começava a me mover, primeiro devagar e depois, conforme a música começou a infundir minha alma, com abandono crescente. Naquele momento, eu estava cheio de paixão e me soltei completamente. Era eu e a música – ninguém e nada mais. Eu estava em outro mundo.

Quando eu dançava na frente de outras pessoas, eu ficava muito contente e me deleitava com todos os aplausos derramados sobre mim por compartilhar uma performance tão apaixonada. Eu não conseguia me imaginar fazendo outra coisa. Por que eu deveria? Dançar trouxe muita felicidade para minha vida, e eu me sentia sempre livre. Isso é tudo que eu queria: alegria e liberdade.

Mas, não importa quantas vezes eu dancei, sempre terminava da mesma forma: eu voltaria a cair de volta na terra com um todo-poderoso baque. Veja, não era real. A dança, os aplausos, a alegria e a liberdade que senti; foi tudo uma invenção da minha imaginação. Isso já vinha acontecendo há mais de cinco longos anos.

A verdade é que eu queria dançar não apenas na minha cabeça, mas de verdade. Eu queria ter aulas e aprender a dançar o melhor que pudesse, mas estava com muito medo. Eu estava com medo de ter passado disso.

Eu acreditava que ninguém da minha idade tinha aulas de dança, ou pelo menos, apenas algumas. E não gostava da ideia de ser o mais velho da classe tentando acompanhar os mais novos e só conseguindo parecer um idiota.

Mas meu desejo de dançar acabou superando todos os medos que eu tinha. É como se o desejo ganhasse vida própria, e quanto mais eu sonhava em dançar, mais forte meu desejo ardia, até o ponto em que ardeu com tanta força que finalmente acendeu meu medo.

Leia Também  Por que qualquer pessoa pode dançar com Marisa Hamamoto do Infinite Flow

E com o meu medo explodindo em chamas, os pensamentos contínuos que me dominavam enfraqueceram, e eu me vi procurando em sites de aulas em minha área. Finalmente, depois de todos aqueles anos contida pelo medo, me inscrevi em um curso. Eu finalmente iria dançar de verdade.

Nunca esperei entrar no estúdio e dançar da mesma forma que dancei em minha cabeça. Afinal, eu era um novato completo. Eu certamente nutria um desejo secreto de pegar meu estilo de dança escolhido sem esforço e sem quase cometer erros, mas é claro, isso não aconteceu.

Meu lado perfeccionista aparecia com frequência. Eu sabia que tinha um longo caminho a percorrer e que cometeria muitos erros, mas ainda assim, queria dançar direito e queria uma gratificação instantânea. Meu entendimento de que isso levaria tempo e minha ‘Srta. Perfeição’ interior foram muito conflitantes, mas continuei.

Observar os outros alunos da minha classe e cair na armadilha da comparação não ajudou. Mesmo sendo uma aula para iniciantes, todos tinham habilidades diferentes. Alguns tropeçavam muito, outros pareciam pegar tudo sem ter que pensar sobre isso, ou pelo menos parecia, e ainda outros pareciam ter tido alguma experiência anterior em dança, talvez em um estilo diferente.

Eu olhava para eles e frequentemente desejava ser como eles, mas geralmente era quando eu acreditava que não estava progredindo rápido o suficiente. Isso me levaria a ficar cada vez mais zangado comigo mesmo e a estragar meu próprio prazer com aquilo que há anos queria fazer.

A única coisa que me deixou mais aliviado, no entanto, foi não ser o mais velho, o que aconteceu apenas uma vez e, mesmo assim, não me incomodou tanto quanto pensei que incomodaria.

Leia Também  5 lamenta que as pessoas tenham no leito de morte e como evitá-las

Então lá estava eu, totalmente imerso em minha aula de dança semanal e amando cada momento, quando não estava ficando frustrado comigo mesmo, e tudo em que conseguia pensar era em outras aulas em que poderia ingressar. Nunca, por um segundo, imaginei que haveria um bônus em seguir o desejo do meu coração e nunca esperei querer me esforçar mais.

Quanto à surpresa final antes do final do ano, nunca pensei que fosse possível. Eu achei que fosse isto; Eu explodi com meu medo dançante – ou melhor, meu desejo engolfou meus medos em meu nome – e fiquei feliz.

cupom com desconto - o melhor site de cupom de desconto cupomcomdesconto.com.br

O bônus veio na forma de uma mente mais clara, o que faz sentido, considerando que eu não passei mais horas presa na minha cabeça dançando e então constantemente pensando e me preocupando sobre porque eu não poderia fazer isso de verdade.

E então, porque senti a necessidade de me expandir um pouco mais, alguns meses depois, me vi matriculado em um curso de teatro. Eu, tendo aulas de teatro. Era, na verdade, um curso para as pessoas mais caladas, então, embora fosse uma versão ligeiramente adaptada do que você pode considerar uma aula de teatro tradicional, eu fiz e foi um grande negócio para mim.

Mas a maior surpresa foi abandonar o açúcar refinado. Sempre gostei um pouco de doces, mas depois de trinta dias participando de um programa sem trigo, grãos, laticínios e açúcar, não queria voltar.

Eu estava orgulhoso de ter passado trinta dias sem açúcar e queria continuar, mesmo que fosse apenas para ver quanto tempo eu aguentaria. E até hoje, quase quatro anos depois, ainda estou sem açúcar e não sinto necessidade de mudar nada. Tudo isso, acredito, veio de honrar o chamado da minha alma.

Leia Também  Sinta-se melhor em 5 minutos

Eu teria feito um curso de teatro se nunca tivesse feito inicialmente aulas de dança? Acho que não. Eu teria começado um programa de trinta dias sem trigo, grãos, laticínios e açúcar e continuado com minha vida sem adição de açúcar? Eu não acredito nisso. Por quê? Porque dançar me levou a querer crescer em outras áreas. Eu já estava me expressando através da dança, então queria melhorar como me expressava verbalmente segui.

Como estava me sentindo bem com os exercícios que fazia a cada semana com a dança, queria me concentrar ainda mais na minha saúde. Agora me assusta pensar o que teria acontecido se eu não tivesse ‘me esquecido’. Eu teria ficado preso na minha cabeça, fingindo.

Eu nunca teria pensado duas vezes nas aulas de teatro e provavelmente continuaria comendo alimentos mais refinados e açucarados do que gostaria, sentindo os altos e baixos incômodos do açúcar. Estou muito feliz por ter permitido que meu desejo assumisse o controle e me ajudasse a ignorar meus medos de fazer aulas de dança. Portanto, vamos seguir o chamado de nossa alma e permitir que ele enriqueça nossas vidas.

Quando você dança com desconforto, coisas surpreendentes podem acontecer 3

Sobre Denise McKen

Denise é a criadora de Mission: Sugar-Free, uma apostila que ajuda as mulheres a se prepararem para largar o açúcar e se manter sem açúcar TheSugarFreeLife.club.

Viu um erro de digitação ou imprecisão? Entre em contato conosco para que possamos consertar!



cupom com desconto - o melhor site de cupom de desconto cupomcomdesconto.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *