O que é SEO? Guia para iniciantes de SEO [2020 Edition]

O que é SEO? Guia para iniciantes de SEO [2020 Edition]
cupom com desconto - o melhor site de cupom de desconto cupomcomdesconto.com.br


Este artigo tem como objetivo fornecer uma visão geral do que é SEO, por que é importante, como o Google funciona e um guia para o que você pode fazer. Este artigo não é um guia definitivo para todos os aspectos e sutilezas do SEO – otimização de mecanismos de busca. SEO é um assunto vasto que não pode ser totalmente coberto em um único artigo.

Contents

Definição de SEO

SEO é a arte e a ciência de persuadir os mecanismos de pesquisa, como Google, Bing e Yahoo, a recomendar seu conteúdo aos usuários como a melhor solução para seus problemas.

Se você deseja que os mecanismos de pesquisa ofereçam seu conteúdo nos resultados, você precisa fazer três coisas:

  1. Garanta que esses mecanismos de pesquisa entendam quem você é e o que oferece.

  2. Convença-os de que você é a opção mais credível para os usuários.

  3. Torne seu conteúdo entregável.

Quão alto no ranking e com que frequência você aparece são baseados no mérito; esses mecanismos mostrarão os resultados que consideram os mais adequados para seus usuários.

Por que o SEO é importante?

O tráfego de SEO (também conhecido como tráfego orgânico) é “gratuito” – quando um mecanismo de pesquisa mostra seu conteúdo para seus usuários na parte orgânica de uma SERP (página de resultados de mecanismos de pesquisa), você não paga pela classificação. Quando o usuário clica no resultado e visita seu site, você não paga ao Google pela visita.

Na mesma SERP, geralmente há resultados pagos; eles são identificáveis ​​pelo ícone “Anúncio” à esquerda. Quando um usuário clica em um resultado pago e visita o site, o anunciante paga o mecanismo de pesquisa por essa visita.

O que é SEO? Guia para iniciantes de SEO [2020 Edition]. Imagem 0

Portanto, para anúncios, você paga para ser o topo, a frente e o centro e, com resultados de pesquisa orgânica (“resultados de SEO”, se preferir), você é o topo, a frente e o centro por mérito, e é gratuito.

A grande vantagem do tráfego de SEO é que, se sua estratégia de SEO for eficaz (e veremos como fazer isso acontecer abaixo), ela será uma fonte contínua de tráfego livre.

Como os mecanismos de pesquisa funcionam

O objetivo fundamental dos mecanismos de busca é satisfazer seus usuários. Eles desejam fornecer os melhores resultados quando um usuário procura algo. Quando alguém usa um mecanismo de pesquisa, como Google, Bing ou Yahoo, está procurando a solução para um problema ou a resposta para uma pergunta. Esses mecanismos desejam fornecer a resposta ou solução mais útil, relevante e credível.

Palavras-chave

Em SEO, geralmente nos referimos a “palavras-chave” – ​​isso é um pouco enganador. “Consultas de pesquisa” é um termo muito melhor. Não estamos olhando para palavras individuais; estamos analisando combinações de palavras que expressam um problema ou uma pergunta.

Nota: mesmo quando um usuário pesquisa com apenas uma palavra, ele ainda está expressando um problema ou pergunta – ele não está sendo muito claro!

O que seu público está procurando?

Para trabalhar efetivamente no seu SEO, você precisa descobrir o que seus clientes em potencial estão procurando. Encontre as frases que eles usam para pesquisar e crie conteúdo que traga uma solução clara, simples e útil para o problema que o usuário expressou. O SEMrush oferece uma ferramenta que permite descobrir com base no seu mercado e nos seus concorrentes.

image.png

Google versus o restante dos mecanismos de pesquisa

O Google domina a pesquisa na maioria dos países do mundo, quase a ponto de ser um monopólio, principalmente em inglês. Em inglês, no mundo todo, 88% das pesquisas em computadores são do Google. No celular, esse número é de 96%. O Bing e o Yahoo juntos representam 1,5% das pesquisas no celular e 8% das pesquisas no computador. Isso torna o Google muito dominante. E, de longe, o mecanismo de pesquisa mais importante em que você deve se concentrar.

O que é SEO? Guia para iniciantes de SEO [2020 Edition]. Imagem 2 Compartilhar no mundo o mecanismo de pesquisa para desktop

O que é SEO? Guia para iniciantes de SEO [2020 Edition]. Imagem 3 Mobile Search Engine Share em todo o mundo

Assim, como uma empresa com um site, sua confiança no Google é praticamente um dado. Um ótimo SEO não é uma opção. É uma necessidade.

Como o Google funciona

O Google diz: “estamos organizando o conteúdo da web”. Essa é uma maneira adorável de colocá-lo. O Google organiza o conteúdo da Web para oferecer a seus usuários a melhor resposta para suas perguntas ou soluções para seus problemas. Você pode considerar isso o Google como um sistema de referência para todas as informações na web. Ele mantém referências a todas as páginas (e às informações que ela contém) e, quando alguém pede informações específicas, o Google pode apontá-las para o conteúdo que melhor fornece a resposta ou solução.

É muito útil abordar o SEO da perspectiva de que você está fornecendo soluções para os usuários do Google e solicitando que ele recomende sua solução.

O Google está se esforçando para recomendar a resposta mais relevante da fonte mais confiável no formato mais apropriado para seu usuário.

  • Relevante – O Google tem como objetivo encontrar a melhor resposta para a pergunta que ele entendeu. Isso é relevante em poucas palavras.
  • Fidedigno O Google deseja enviar a seus usuários o conteúdo de uma fonte em que confia que satisfará o usuário – uma marca ou pessoa confiável em que confia.
  • Consumível – Essa é uma palavra horrível, e peço desculpas, mas o Google quer enviar aos usuários o tipo de conteúdo com o qual eles desejam se engajar, em um formato que possam consumir.

Correspondência da intenção do usuário ao conteúdo realmente útil

Então, aqui estão duas coisas que o Google precisa corresponder. Por um lado, a intenção do usuário: quando alguém pesquisa no Google, está expressando um problema para o qual precisa de uma solução. Mas eles costumam expressar esse problema de maneira incompleta ou ambígua. O Google tenta entender o que eles significam. Qual é a intenção deles? Qual é o problema específico que eles estão tentando resolver? O Google precisa entender a pergunta ou a intenção. Veremos isso com mais detalhes um pouco mais tarde.

Por outro lado, qual é o melhor conteúdo para satisfazer o usuário, dada a sua intenção – o conteúdo mais preciso, útil e útil da rede mundial de computadores que resolve esse problema de maneira confiável? O Google precisa entender as soluções disponíveis, seus méritos relativos e sua adequação. E é disso que se trata praticamente o SEO. O SEO é o seu meio de apresentar seu conteúdo ao Google de maneira que você tenha certeza de que sua solução é a mais útil, a mais confiável e a mais apropriada para o usuário. Em resumo, convença o Google a recomendar sua resposta ou solução.

Algoritmo do Google

A palavra “algoritmo” pode parecer assustadora, mas é simplesmente um código de computador que entende a pergunta e avalia os méritos relativos das respostas. Em SEO, estamos focados principalmente na segunda parte. Nosso objetivo é enviar os sinais certos ao algoritmo do Google para convencê-lo de que nossa resposta é a melhor, mais útil e mais apropriada para a pergunta que ela entendeu.

Atualizações do Google

Você certamente já ouviu falar sobre as atualizações do Google. Os mais famosos são Penguin, Panda e Hummingbird. É muito essencial entender várias coisas:

  1. O Google atualiza constantemente seu algoritmo diariamente. Mas a maioria dessas atualizações é pequena e não leva a alterações visíveis na classificação ou no tráfego de marcas individuais como a sua.

  2. De tempos em tempos, o Google implementa grandes atualizações. Isso pode afetar a classificação e o tráfego do seu site de maneira bastante drástica.

  3. Algumas atualizações no passado foram especificamente destinadas a reduzir o impacto da trapaça por algumas marcas e sites. Ele deu nomes a essas atualizações – Panda (relacionado à qualidade do conteúdo) e Penguin (sobre a qualidade dos links) são exemplos famosos.

  4. Hoje, o Google anuncia as principais atualizações, e você pode encontrar esses anúncios no Twitter via @searchliaison.

Aprendizado de máquina no algoritmo do Google

Como o nome sugere, “o aprendizado de máquina é uma funcionalidade que ajuda o software a executar uma tarefa sem regras ou programação explícitas”. O Google fornece alguns exemplos de tarefas que o aprendizado de máquina pode executar:

  • Personalize recomendações de produtos com base no comportamento do cliente

  • Procure palavras-chave em um grande número de documentos de texto

  • Ativar software para responder com precisão a comandos de voz

Aprendizado de máquina no Google

RankBrain e BERT são as atualizações de aprendizado de máquina mais famosas. O Rank Brain é um sistema de inteligência artificial de aprendizado de máquina que o Google usa para ajudar a classificar seus resultados de pesquisa. O BERT é uma técnica baseada em rede neural para processamento de linguagem natural (PNL) e representa Representações de codificadores bidirecionais dos transformadores. É usado para entender as nuances e o contexto das palavras nas pesquisas e ajuda a fornecer melhores correspondências às consultas com resultados mais relevantes.

Avaliadores de qualidade

O Google possui milhares de avaliadores de qualidade e são usados ​​para ajudar a melhorar a experiência de pesquisa. Segundo o Google, “avaliadores de qualidade estão espalhados por todo o mundo e são altamente treinados”. O Google está sempre experimentando resultados de pesquisa e usa feedback de avaliadores de qualidade de pesquisa de terceiros para garantir que as alterações sejam úteis.

Leia Também  O futuro do AMP e o que considerar antes que o Google elimine o requisito de principais notícias

Então, o que os avaliadores procuram quando estão analisando os resultados? Vamos descobrir.

Diretrizes do Quality Rater

Os Avaliadores de Qualidade são considerados “altamente treinados” porque é esperado que eles sigam um documento muito longo e detalhado – 168 páginas em janeiro de 2020 para ser exato – que explica o que constitui um bom resultado e o que os avaliadores devem procurar para identificar resultados ruins. Vale a pena ler o documento porque define qual o conteúdo que o Google deseja atender a seus usuários e como o Google julga a qualidade do conteúdo adequado. Não nos diz quais são os fatores / sinais de classificação ou exatamente como o algoritmo funciona (mais sobre isso mais tarde).

image.png

Essas diretrizes são atualizadas com frequência.

Aqui está uma breve visão geral do que os avaliadores do Google estão procurando para identificar conteúdo de qualidade (e, por extensão, essa é uma visão geral do que você deve alcançar).

Intenção da consulta

Ao analisar os resultados, os avaliadores permanecem focados na intenção do usuário – o problema para o qual estão buscando a solução. Então, eles se perguntam: “Esse resultado é uma boa solução e ajuda o usuário?” Se o Google recomendar um conteúdo específico como solução, esse conteúdo deverá ter um valor benéfico para o usuário na busca de uma solução para seus problemas. problema. O conteúdo deve ser centrado no usuário e focado no usuário.

Sinais de credibilidade (conhecidos como E-A-T).

O Google usa a sigla E-A-T – Especialização, Autoridade e Confiabilidade – que também pode ser expressa globalmente como credibilidade. Eles estão julgando credibilidade ou E-A-T em três níveis – a página, o autor e o site. Além disso, eles estão olhando para ver se o conteúdo é credível no contexto da solução que ele pretende fornecer.

O E-A-T é incrivelmente essencial para o Google; nas diretrizes, eles usam as palavras especialista, autoridade e confiança (ou variantes) mais de 200 vezes.

Vamos analisar brevemente cada componente do E-A-T.

  • Perícia – As informações são precisas? Esse escritor ou marca deve escrever sobre esse tópico?
  • Autoridade – O autor é respeitado em seu campo? A marca é amplamente reconhecida no setor? O conteúdo é referido em outras partes da Web por outros sites, marcas e pessoas autorizadas?
  • Confiabilidade – A marca e o escritor têm uma boa reputação e o conteúdo é confiável?

Páginas YMYL

YMYL significa Seu Dinheiro ou Sua Vida. É um conceito muito importante para avaliadores de qualidade. Como o Google explica nas diretrizes, este termo descreve páginas ou tópicos que “poderiam impactar a felicidade futura, a saúde, a estabilidade financeira ou a segurança de uma pessoa”. Aqui está uma lista desses tópicos:

O que é SEO? Guia para iniciantes de SEO [2020 Edition]. Imagem 5

O Google alega ter “padrões de qualidade de página muito altos” para essas páginas porque o conteúdo YMYL de baixa qualidade pode afetar diretamente o bem-estar dos leitores.

Qualidade do Conteúdo, Página e Site

O Google deseja enviar seus usuários para sites que oferecem uma ótima experiência de usuário (UX). Os avaliadores analisam cuidadosamente a quantidade e a qualidade do conteúdo, a facilidade de uso do design e a navegação do site.

Os avaliadores também identificam conteúdo explicitamente ruim – eles sinalizam conteúdo de baixa qualidade ou que não tem credibilidade ou que é totalmente enganador. O Google tem como objetivo excluir esse tipo de conteúdo, pois não oferece uma boa experiência ao usuário.

Aqui está uma captura de tela da escala de qualidade que eles usam:

image.png

Fatores de classificação do Google

O algoritmo do Google leva milhares e milhares de sinais em consideração ao avaliar uma página para determinar onde deve ser classificada para uma consulta específica do usuário.

Quando falamos sobre fatores de classificação, estamos simplesmente identificando quais grupos de sinais têm maior influência sobre o desempenho de uma parte do conteúdo na pesquisa do Google.

Na sua perspectiva, identificamos quais aspectos do seu conteúdo, site e reputação você pode melhorar para aumentar a opinião do Google sobre seu conteúdo e, assim, obter uma posição mais alta nos resultados da pesquisa.

Aqui estão os principais fatores que você precisa acertar para ajudar seu conteúdo a ter uma classificação mais alta no Google (há mais de 200, portanto, apenas detalhamos os mais importantes neste guia).

Na página

Como o nome indica, os sinais na página são aqueles que o Google encontra na página do seu site. São os aspectos que você controla diretamente e, portanto, os mais fáceis de acertar.

Técnico

  • Rapidez – As pessoas não gostam de esperar, então o Google quer enviar seus usuários para uma página que carrega rapidamente. Verifique se todo o seu conteúdo é carregado rapidamente, mesmo em uma conexão lenta à Internet.
  • Compatibilidade com dispositivos móveis – O conteúdo precisa ter uma ótima aparência e proporcionar uma boa experiência do usuário em dispositivos móveis. O índice do Google agora é o primeiro para dispositivos móveis, portanto, a usabilidade no celular é uma grande influência nas classificações.
  • Qualidade do código – O Google precisa de um código limpo e claro para poder digerir e entender seu conteúdo de maneira eficiente e eficaz. Até o momento, o Google pode “entender” algumas linguagens de programação melhor que outras (ou seja, HTML sobre JavaScript); no entanto, isso não significa que você não deva usá-lo em seu site. Isso significa apenas que você precisa garantir que o Google possa acessar seu conteúdo com eficiência em todos os casos.
  • Segurança – Um site seguro é um site confiável.
  • Marcação Schema.org Simplificando, a marcação schema.org explica seu conteúdo para o Google em um formato que ele pode digerir e entender facilmente. A marcação Schema.org é uma GRANDE ajuda para o Google e também pode ser inestimável para ajudá-lo a se classificar no topo das SERPs quando incluem um snippet em destaque ou resposta rápida.

Conteúdo

  • Títulos – O meta título e o cabeçalho da página são sinais muito críticos para o Google.
  • Cópia de conteúdo – Como vimos anteriormente na seção sobre avaliadores de qualidade, o Google procura conteúdo de qualidade, preciso e credível, que atenda a um propósito real e traga benefícios ao usuário (conteúdo que tenha um objetivo benéfico). E, no contexto da consulta de pesquisa do usuário, conteúdo que responde à pergunta ou resolve o problema que o usuário expressou ao Google.
  • Conteúdo rico – À medida que a web se torna mais multimídia, as pessoas esperam conteúdo mais rico, e o Google deseja fornecer isso a eles. Então, o Google está procurando mais do que apenas resmas de texto. O Google deseja ver imagens, som e vídeo para melhorar a interação do usuário com o conteúdo.
  • Ligação interna – Precisa ser claro, lógico e simples. O Google conta com links internos para identificar qual conteúdo do seu site é mais importante e também com links internos para encontrar todas as páginas do site.
  • Frescor – As atualizações regulares do seu conteúdo indicam ao Google que você está fornecendo informações atualizadas. Mais uma vez, ele deseja satisfazer seus usuários com informações relevantes e precisas.
  • Links de saída – O Google as utiliza para verificar se suas informações são precisas e também para confirmar a credibilidade do autor e do site. Apesar do que você possa ouvir, os links de saída (para fontes autorizadas e relevantes, é claro) são um sinal positivo para o Google.

Fora da página

Fatores fora da página incluem os sinais enviados ao Google, não por quaisquer alterações feitas no código ou no conteúdo do site, mas em sites de terceiros. É por isso que essa categoria de fatores inclui principalmente links ou menções de suas páginas nos sites de outras pessoas ou nos perfis de mídia social.

Links de entrada

Esse é o maior fator fora da página – os links para seu conteúdo de sites relevantes e autorizados são um sinal muito forte para o Google de que o conteúdo é popular e digno. Podemos considerar os links como “votos” – as pessoas vinculam ao conteúdo de seus sites ou de suas contas de mídia social porque apreciam isso. Mais links = mais “amor”. E se você voltar à parte sobre E-A-T, os links indicam que este conteúdo, este site e este autor são uma fonte confiável e autorizada de informações.

  • Autoridade de link – Ganhar links de sites de alta autoridade é mais valioso do que ganhar links em sites com uma pontuação de autoridade mais baixa.
  • Relevância do link – o Google prefere links de sites relevantes – geralmente no mesmo setor, sites de notícias ou sites de revisão que cobrem vários setores de maneira credível.
  • Relevância da página – O Google analisa o conteúdo em torno do link e avalia a relevância desse item para o seu conteúdo. Links de conteúdo altamente relevante enviam um sinal mais forte.
  • Texto âncora – O texto âncora relevante (o texto em que as pessoas clicam para acessar o link) é um sinal importante, pois ajuda o Google a entender melhor o contexto de cada link.

Sinais sociais

Compartilhar em plataformas sociais e o burburinho social geral em torno de seu conteúdo é um sinal para o Google de que o conteúdo é útil e apreciado. E ao recomendar o conteúdo como uma solução para o usuário, útil e apreciado estão no topo da lista de prioridades.

Menções de marca não vinculadas

Uma menção à sua marca é um sinal para o Google, mesmo sem um link. O Google entende que alguém está falando sobre você quando usa seu nome de marca. Obviamente, você está procurando menções com sentimentos positivos em um contexto relevante.

Marketing de influenciadores

Quando os influenciadores do seu setor falam sobre sua marca e citam seu conteúdo, eles são essencialmente uma garantia para você. Essa aprovação de um especialista confiável e competente ajudará a melhorar a credibilidade da sua marca, autor e conteúdo aos olhos do Google. Mais uma vez, estamos buscando a aprovação da relevância de uma figura autorizada do seu setor.

Sinais de Confiança

Os sinais de confiança indicam ao Google que sua marca, seus produtos e seu conteúdo são apreciados por seus usuários / clientes. Sinais de confiança são coisas como análises de produtos e serviços, menções positivas em fóruns, comentários em suas postagens no blog etc. Em suma, qualquer atividade positiva de seus usuários em relação a seus produtos, marca ou conteúdo.

cupom com desconto - o melhor site de cupom de desconto cupomcomdesconto.com.br

Como funciona o SEO

Esta seção aborda o que você pode fazer para melhorar suas chances de ser recomendado pelo Google como a resposta apropriada, relevante e útil para a pergunta que um usuário fez.

Leia Também  A atualização do algoritmo do Google pode ter atingido a Forbes, os Favicons revertidos, as perguntas sobre trechos em destaque e muito mais

Podemos dividir isso em três áreas principais: técnica, conteúdo e links.

SEO técnico

O SEO técnico tem tudo a ver com a qualidade da infraestrutura que entrega seu conteúdo. Um bom SEO técnico significa que o Google encontrará seu conteúdo facilmente e será fácil para ele digerir e entender.

Quais são as suas principais prioridades para SEO técnico?

  • Rastreabilidade – O Google precisa acessar suas páginas e digerir seu conteúdo. O termo “rastrear” basicamente significa acessar e ler uma página da web. Se o Google não puder acessar seu conteúdo, ele não poderá oferecê-lo em seus resultados. Exemplos de problemas de rastreabilidade não permitem que o Google rastreie suas páginas – um arquivo chamado robots.txt é onde você pode conceder ou recusar permissão ao Google para acessar páginas específicas do seu site. Outro problema da rastreabilidade é ter páginas atrás de um paywall ou página de login – o Google não pode acessar essas páginas e, portanto, não pode saber qual conteúdo elas contêm.
  • Indexabilidade – Depois que o Google vê sua página, ele precisa ter certeza de que deseja mostrar essa página aos usuários. A tag noindex na seção principal de suas páginas permite que você indique ao Google se deseja ou não considerar uma página específica para seus resultados de pesquisa.
  • Arquitetura do site – Você precisa organizar seu site de uma maneira que facilite o entendimento de seções e categorias e simplifique a navegação pelo Google em todas as páginas do site. Se houver páginas no seu site que não possuam links internos apontando para eles, o Google terá problemas para encontrar essas páginas. E mesmo que isso aconteça, as considerará relativamente menos valiosas do que as páginas que possuem links internos. A excelente arquitetura do site também é um grande bônus para a experiência do usuário.
  • Marcação de esquema – Esse fator é de fundamental importância. Pense nisso como o idioma nativo do Google. A marcação de esquema explica seu conteúdo para o Google da maneira que ele entende, facilitando a digestão e a compreensão. O Google possui uma ferramenta para testar a marcação schema.org nas suas páginas.
  • Rapidez – Toda página precisa ser rápida. Os usuários não gostam de esperar, e o Google sabe disso; Ele deseja recomendar páginas mais rápidas aos seus usuários, pois eles proporcionam uma melhor experiência ao usuário. O Google possui uma ferramenta para testar a velocidade das suas páginas.
  • Compatibilidade com dispositivos móveis – Todas as páginas do seu site precisam ser compatíveis com dispositivos móveis. Os usuários precisam poder consumir seu conteúdo facilmente em um dispositivo móvel. O Google avalia seu conteúdo de acordo com seu desempenho em um dispositivo móvel, por isso é vital que você acerte isso. O Google possui uma ferramenta para testar suas páginas quanto à compatibilidade com dispositivos móveis.
  • Interface de usuário – Como vimos anteriormente na seção de avaliadores, o Google deseja recomendar sites atraentes para os usuários, tanto no design quanto no conforto do uso. O layout do site precisa garantir que, quando o usuário chegar à sua página, ele a achar atraente, compreenda rapidamente o que sua página oferece e compreenda as opções de navegação que possui. Você deseja que eles interajam com seu conteúdo e depois investigue mais. Em suma, você quer que eles fiquem.

SEO de conteúdo

Meta títulos e meta descrições – Essas áreas de uma página determinam, em muitos casos, o que o Google mostra a seus usuários nos resultados da pesquisa.

image.png

Um meta-título preciso que descreva de forma clara e inequívoca o que o conteúdo da página oferece ao usuário é extremamente importante – é o motivo pelo qual eles clicaram no seu resultado ou não.
Mais sobre isso


O que NÃO fazer ao escrever uma descrição meta

Postar


Gabka Koscova



Meta títulos e meta descrições são essencialmente cópias de vendas que precisam atrair o usuário e também ajudam o Google a entender melhor o conteúdo e a finalidade de cada página. Idealmente, o meta título incluirá as principais palavras-chave pesquisadas pelo usuário. Isso é essencial para o algoritmo do Google, mas também para o usuário; as pessoas se sentem mais à vontade e têm maior probabilidade de clicar no texto que contém as palavras que usaram em sua pesquisa.

Título – O título que o usuário vê quando chega à sua página é um sinal crítico para o Google. Como o meta título, ele precisa ser claro e inequívoco e incluir os termos que o usuário pesquisou. Novamente, esse é um sinal importante para o Google, mas também é tranquilizador e útil para o usuário.

Estilo de escrita – Mantenha sua escrita simples, clara e focada. Mantenha as frases curtas, divida o conteúdo em partes lógicas e continue no tópico. Ajude os leitores a encontrar a solução para seus problemas. Organize seu conteúdo para que o valor que ele oferece seja fácil de identificar, entender e interagir.

Conteúdo rico – Inclua conteúdo rico, como áudio, vídeo e imagens ilustrativas, sempre que possível. O Google não é capaz de entender o conteúdo de imagens ou vídeos. Portanto, quando você incluir esses formatos mais avançados, acompanhe-os com as meta tags apropriadas para ajudar o Google e as pessoas com deficiência visual a entender o que é a imagem / vídeo. Você também pode incluir uma versão escrita para facilitar para os usuários que preferem conteúdo escrito.

Links de saída – Esses tipos de links levam a fontes que confirmam a precisão do seu conteúdo e que validam sua credibilidade e a credibilidade do autor.

Autoria – Identifique o autor explicitamente onde apropriado. Se eles tiverem um ótimo E-A-T, isso trará credibilidade ao conteúdo.

Indo além, seu conteúdo não vive isolado. É vital ver cada parte do conteúdo como parte de uma estratégia geral e coerente de conteúdo. Assim que você faz isso, você está pensando em termos de marketing de conteúdo.

O que faz um ótimo conteúdo?

Great Writing

Para todo o conteúdo (escrito, áudio e vídeo), a gramática correta, a ortografia adequada e um estilo claro são essenciais para o Google e o usuário que o consome. Escreva naturalmente, escreva para seu público e não fique tentado a enganar o Google adicionando as palavras que deseja classificar várias vezes (chamadas “preenchimento de palavras-chave”). Essa tática não funciona e contribui para uma má experiência do usuário. O Google quer excluir isso (eles dizem explicitamente aos seus avaliadores da qualidade para rejeitá-lo). E com desenvolvimentos recentes como o BERT, o Google está se tornando muito bom para entender a linguagem natural.

Relevância

Ter um conteúdo que realmente resolva os problemas que seu público está enfrentando é vital. Se você deseja que o Google recomende seu conteúdo para seus usuários, esse conteúdo precisa agregar valor a eles. Isso significa ser uma informação altamente relevante e fornecer uma solução útil para o problema ou pergunta do usuário. Em uma escala mais ampla, a criação consistente de conteúdo relevante e útil que resolva os problemas dos usuários demonstra ao Google que você entende seu público-alvo e que está se esforçando para oferecer conteúdo benéfico a eles – e que gera credibilidade.

Portanto, concentre-se em agregar valor real ao seu público com cada conteúdo que você criar. Para agregar valor real, você precisa se concentrar na intenção do usuário.

Termos de pesquisa

O que seu público está procurando? Você pode descobrir os termos de pesquisa ou palavras-chave que eles usam, consultando ferramentas como o SEMrush e também perguntando à sua equipe de vendas e suporte quais perguntas as pessoas fazem.

Ao criar uma lista sólida e pesquisada, pense muito sobre a intenção por trás de suas pesquisas e perguntas. Às vezes será óbvio? Muitas vezes, pesquisas e perguntas são ambíguas, e a intenção não é imediatamente óbvia. Você precisa entender seu público-alvo e fornecer um conteúdo valioso que atenda à intenção de sua consulta.

Quais formatos de conteúdo são apropriados?

Diferentes tipos de conteúdo são apropriados para diferentes estágios no funil, para diferentes usuários. e diferentes contextos do usuário (local, dispositivo etc.). Uma boa estratégia de conteúdo conterá uma mistura dos diferentes formatos que estou prestes a descrever.

Listas – As pessoas e as listas de amor do Google. Eles são fáceis de digerir, fáceis de entender e fáceis de envolver.image.png

Guias de instruções – Eles são perfeitos para fornecer uma abordagem passo a passo para uma consulta específica.

Guias de formato longo – Isso pode envolver muito trabalho, mas esse tipo de conteúdo pode realmente ajudar seu público-alvo a entender um tópico específico ou mais amplo em profundidade.

Tabelas – Tabelas de dados ou informações em suas páginas são fáceis de entender para o Google e também são incrivelmente úteis e úteis para o seu público quando precisam processar dados em relação a um tópico.

image.png

Graphics – Images, photos, illustrations. Google is including these in the SERPs more and more, especially on mobile. Plus, images – when appropriately used and tagged – can drive visits from Google’s image search, which is particularly popular with some industries and types of queries (i.e., fashion or travel).

Infographics – Infographics are images that contain information (usually illustrations + text) that makes them standalone content. They are great as content to push out to your audience via social media as they can generate great engagement. And, they are also a great way to build links.

image.png

Vídeo – Google is including more and more video in search results. This is particularly true of how-to videos. image.png

* Additional benefit: If you post your videos to YouTube, then you benefit from greater brand visibility and referrals on that platform. YouTube is the second most visited website on the planet.

Podcasts – These are audio-only content. Podcasts are on the rise and very popular, especially within specific niches. Like videos and images, Google shows them in the normal search results.

image.png

Webinars – A webinar is a live online meeting or presentation that is open to the public. It is a great way to engage and build your audience, but they also provide great longer-term content because, after the live event, you can post it to YouTube as a video people can watch at any time.

Ebooks – are downloadable books, usually in the format of a PDF, that brands often give away for free. They are perfect for in-depth content that is too long for an article, and they can be used in a clever way to acquire more information about your audiences. Ideally, you would have a landing page with an introduction to the ebook then require an email sign up for the user to download the ebook. This not only gives you valuable SEO-related traffic but also allows you to collect prospects’ emails for future marketing efforts.

Leia Também  Dicas da Conferência de Marketing Digital para 2020: SEMrushchat

SEMrush Ebooks Section

What is Link Building – The Basics

Links in SEO

For better ranking in Google, your content needs to have inbound links (also known as backlinks). It may have some internal links from your own site, but they only indicate the importance of the content within the context of your site. They don’t help Google see it’s importance in the context of the wider world. Inbound links from relevant and authoritative sites indicate to Google that your content is popular (peer approval), authoritative, and trusted. These are all very strong signals to Google that your content is a good result to recommend to its users for relevant search queries.

An important concept here is “from relevant and authoritative sites.” When looking to obtain inbound links, especially for a new website, webmasters tend to focus on quantity. However, quality in the form of acquiring links from websites with high authority, which are relevant to your content. should be the priority.

In 2012, Google released a very strong algorithm update called Penguin that aimed at eliminating “link cheating” (meaning to prevent sites with spammy link profiles from ranking high). In 2017, they announced that the process of identifying, and then ignoring these spammy links is now running in real-time, which means that any link to a site’s pages that is considered low quality will be ignored and will not help to rank.

How to Build Links

In a perfect world, your amazing content will earn links on merit without any effort on your part. People (website owners, journalists, bloggers, your fans, etc.) will link to your content because, after finding it and consuming it, they consider it to be a valuable resource for their audience.

However, the world is imperfect, and this simple process doesn’t happen naturally very often. Link building is simply helping that process along.

Link building consists of identifying people with the capacity to link to your amazing content (website owners, journalists, bloggers, etc.), pointing them to your content, and encouraging them to link to it from a relevant page on their site; sounds simple. And it is. But it is also time-consuming. Contacting people, building relationships with them, and convincing them that linking to your content is beneficial to them and their audience all take time.

What are the best candidates for link building?

Sites that would potentially see value in linking to you, who will be relevant to your business, and have the necessary authority are often sites your audience uses. So if you can get an understanding of which websites they visit, which authors they read, and which industry thought leaders they engage with, then you have a good idea of the sites and people that you can approach.

Take note, when looking at opportunities for links, relevancy is the number #1 factor you should consider, then the #2 factor is credibility, and #3 is popularity. To really help your SEO efforts, you are looking for links from quality, relevant content, preferably on websites that are authoritative in your industry, and if possible, popular.

Outreach

Once you have identified who you want to link to you, you ‘simply’ need to reach out to them and point your content out to them, indicating why it would be valuable and interesting for their users, and suggesting a link. If you have targeted correctly, this process can be quite natural (this process can be slow since people will rarely link to you when you first contact them, as mentioned above).

For it to work, your content HAS to be of great quality and bring value to their users — exactly the same conditions that we mentioned for Google earlier.

Quality content that brings value to users is what everyone is looking for — website owners, journalists, influencers, bloggers, Google, and even us as users.

Guest Blogging

Writing articles for other relevant and authoritative websites not only can help build an author’s reputation but also allows you to create inbound links from a trusted, authoritative source.

Ideas for Engaging Content That Earns Links

  • Pieces using data – Create content that includes unique and helpful (or interesting) analysis of data, especially original data.
  • Emotional – Content that appeals to people’s emotions is great for earning links.
  • Humorous – If you can hit the right note and your humor appeals to your audience, then this type of content is a big winner for gaining merited links. It is also great for creating a buzz and gaining brand visibility on social media.
  • Collaborations – Create content that includes an industry influencer/leader: quotes, co-authorship, and interviews are three great examples. This type of content will have authority ‘built in’ since you are associating your brand to a recognized and relevant industry leader. With this type of content, you already have one link right out of the box — from the party you collaborated with!
  • Authoritative/definitive pieces – Creating this type of content is tough but pays dividends when done right. If your content covers a topic thoroughly and accurately, it brings value to the target audience, and that makes links easier to get.

How Social Media Helps SEO

Is social media part of SEO?

Whether social media activity, including likes, replies, comments, and shares directly help with ranking is not clear. For most major platforms, we know that Google crawls a great deal of the content. However, there is so much content being generated; Google cannot catch all of it. For example, according to The Social Skinny, there are 510,000 comments, 293,000 status updates, and 136,000 photos added on Facebook every minute. But Google is crawling and indexing these sites and large amounts of their content. So we can safely assume that a healthy presence with ongoing engagement from a relevant audience helps SEO.

* Additional benefit: Social media is vital to your marketing efforts beyond just SEO, so having a well-thought-out social media strategy is an essential aspect of your digital marketing strategy. Social media activity helps enormously with building your reputation, brand awareness, and your audience. Over time it is a great channel for maintaining contact with your existing audience, expanding your reach, and distributing the content you create.

How fast does SEO work?

SEO is a long term strategy. As we saw earlier, SEO has three main pillars — technical, content, and links. For your strategy to bear fruit, all three need to be solid, and that doesn’t happen overnight.

Some of your efforts will pay-off in the short term after they are implemented. Changing meta titles, headings, or improving the content on a few pages are typical examples.

Other efforts, such as implementing Schema.org markup across a number of pages, creating a substantial volume of informative content, building links, or attracting positive reviews, take time and will pay off in the long term.

No one single thing will revolutionize the performance of your SEO strategy. All the elements I described above work together, and it is the combination of all the signals Google reads that will make the needle move for you.

Conclusão

Is SEO dead?

Almost every time Google makes an update to its algorithm or to its SERPs features, this question is trending. The answer is “no.” But SEO does not exist in isolation. It is one (very vital) pillar of your digital marketing strategy. New customers will see your brand multiple times before deciding to do — not only in Google search but also on many other platforms such as social media, TV, radio, YouTube, on review sites, Google My Business, etc. As you now know, these can all help with your SEO, and they all bring benefits to your business in their own right and, therefore, can all necessary for your digital marketing strategy to be successful.

So, an intelligent digital marketing strategy will use SEO to help drive other aspects of your marketing, and vice versa.

What are the most important elements of an SEO strategy?

For your SEO strategy to be successful, you must trigger as many of the signals that Google is looking at as possible. A helpful way of looking at how all these individual actions fit into an overall strategy is to think in terms of serving the three following pillars:

Understanding, credibility, and deliverability.

Understanding – if you want Google to recommend our content as the most suitable solution to their user’s problem, it must understand clearly and precisely what it is you are offering. Actions such as clear copywriting, adding schema markup, relevant inbound links serve the purpose of helping Google understand and be confident it has correctly understood what it is you are offering.

Credibility – If Google has understood that multiple pieces of content offer a solution that brings a similar level of value to the user, then it will recommend the one it perceives as the most credible. Actions such as improving E-A-T, link building, linking out to relevant sources all help with your credibility and the credibility of your content.

Deliverability – Google wants to recommend content that provides a great user experience – fast, attractive, great quality, and in the most appropriate format according to the user’s specific needs at that time (geo-location device, bandwidth, etc.). Actions such as mobile-friendliness, download speed, using videos, and text in your content all help to ensure Google considers your content deliverable.

Every SEO action you take will serve one of these pillars.

Resources

Google Tools

SEO Basics

Keyword Research

Helpful Information and What to Avoid



cupom com desconto - o melhor site de cupom de desconto cupomcomdesconto.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *